Textos

Cinzas pretas
Pelo sal de cada dia
Eu trago o que tiver na mesa
Na vida que tempera a comida
No meio de cada incerteza

Talvez a carne esteja despida
Ou de fome se fez foragida
Seria a aula que chega sem ler
Ou seria as cinzas que tem pra comer ?

Um cigarro, jornal, e a vela acesa
Ou acender um farol na sua certeza
E a gente tão  perto de sobremesa
E sobre nós
desordem do submundo
Sub-humano
Cutâneo
Ainda preto
Vera Mascarenhas
Enviado por Vera Mascarenhas em 29/06/2022
Alterado em 03/08/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários